fev 19


computador As políticas de inclusão digital, que estimulam o uso de computadores nas escolas, podem estar gravemente equivocadas, adverte estudo realizado pela Unicamp (Universidade Estadual de Campinas). A pesquisa mostra que o uso do PC para fazer tarefas escolares está prejudicando o desempenho dos alunos, principalmente os mais pobres e jovens.

O trabalho, publicado na revista “Educação e Sociedade”, foi coordenado por Jacques Wainer, do Instituto de Computação, e por Tom Dwyer, do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas. A equipe utilizou dados do Saeb (Sistema de Avaliação da Educação Básica) de 2004.

“Existe hoje uma posição dominante favorável ao uso do computador nas escolas, como se ele estivesse associado a uma melhoria uniforme no desempenho do aluno. Mas constatamos que ocorre o contrário: entre alunos da mesma classe social os que sempre usam têm pior desempenho”, diz Wainer. 

Do ponto de vista de políticas públicas, o estudo aponta que é preciso entender melhor o fenômeno do impacto dos computadores nas notas dos alunos antes de defender a inclusão digital baseada na distribuição de tais equipamentos.

“Idéias como a de dar um laptop para cada criança parecem péssima opção, principalmente considerando que ele piora o desempenho escolar entre as crianças mais pobres. Corremos o risco de transformar a inclusão digital em uma exclusão educacional”, afirmou Wainer.

Segundo ele, a pesquisa foi derivada do Mapa da Exclusão Digital, publicado pela Fundação Getúlio Vargas do Rio de Janeiro em 2003. O documento apontava um melhor desempenho no Saeb entre os estudantes que tinham computador em casa.

Resultados

O Saeb de 2004, segundo Wainer, prestava-se ao propósito, uma vez que incluía uma pergunta sobre a freqüência com que os alunos utilizavam o computador para tarefas escolares: nunca, raramente, de vez em quando e sempre.

Os resultados mostraram que, na 4ª série, os estudantes de classe alta que usaram raramente o computador para as tarefas tiveram, em média, 15 pontos a menos do que os que nunca o fizeram – tanto em português quanto em matemática.

Entre os alunos da 8ª série, o quadro foi semelhante, mas houve uma melhora na prova de português entre os alunos que usaram raramente o computador. Em matemática, a diferença não foi significativa.

Para ler o estudo completo “Desvendando mitos: os computadores e o desempenho no sistema escolar”, de Jacques Wainer e outros especialistas clique aqui.

Fonte: Wnews

[BBL] Educação, internet, estudo, pesquisa, unicamp, jovens, revela, computador, estudantes, noticia, artigo, afarias[/BBL]



Escrito por Airton

jan 27

image Uma maneira prática para que o empreendedor ou empresário possa ter acesso ao conhecimento sobre a gestão de um negócio. Com essa perspectiva, desde 2001 o Sebrae desenvolve cursos de educação a distância (EAD) pela internet. Os interessados em participar dessa programação podem se inscrever pela internet no site http://educacao.sebrae.com.br. Há cerca de 34 mil vagas disponíveis.
Cerca de 700 mil pessoas já participaram gratuitamente dos cursos de Educação a Distância do Sebrae via Internet, que são “Iniciando um Pequeno Grande Negócio (IPGN)”, “Aprender a Empreender”, “Como Vender Mais e Melhor”, “Análise e Planejamento Financeiro” e “D-Olho na Qualidade”. O aluno dispõe de 60 dias para concluir o curso IPGN e de 30 dias de prazo para cada um dos outros.

Veja abaixo os cursos oferecidos:

Iniciando um Pequeno Grande Negócio

Para quem quer aprimorar conhecimentos conceituais, técnicos e instrumentais para o planejamento de um novo negocio, organizar suas idéias e recursos e construir um plano de negócios.





Aprender a Empreender

Para quem quer iniciar um pequeno negócio ou precisa repensar o seu empreendimento, o curso oferece interação com conceitos básicos sobre empreendedorismo, mercado e finanças.






Como Vender Mais e Melhor

Para empresários que querem aumentar suas vendas, o curso ajuda a desenvolver competências para construir um modelo de gestão de vendas a partir do planejamento e ação comercial da empresa.






Análise e Planejamento Financeiro

Ajuda empresários a desenvolver competências para projetar estratégias empresariais a partir de análise financeira do seu negócio, necessárias.






D´Olho na Qualidade

O curso ajuda a conhecer e praticar o método D-Olho (descarte, organização, limpeza, higiene e ordem mantida) a fim de implementá-lo na organização.

Acesse aqui o site do sebrae para realizar sua inscrição.
[BBL]sebrae, EAD, cursos, negócio, Empreender, vender mais, planejamento financeiro, qualidade [/BBL]



Escrito por Airton