jan 03

Estudo com esperma encontra ‘camuflagem’ do câncer


Agência JB

LONDRES – Um estudo sobre o comportamento do esperma no corpo feminino pode trazer uma importante pista sobre como células cancerígenas e vírus como o HIV conseguem se espalhar pelo corpo humano.

Cientistas britânicos afirmam ter identificado moléculas situadas na superfície do esperma que previnem o ataque pelo sistema imunológico feminino, um ambiente hostil para células externas – que são atacadas por anticorpos.

Essas moléculas protegeriam o esperma, permitindo que ele entre no corpo da mulher sem ser detectado pelo seu sistema imunológico – um “truque” que poderia ser usado por células cancerígenas.

A equipe de pesquisadores do Imperial College, de Londres, acredita que essa proteção vem de glicoproteínas, moléculas de açúcar encontradas na superfície do esperma e que também são encontradas em algumas células cancerígenas e em amostras de sangue infectado com HIV.

Segundo os cientistas, as células que contém a glicoproteína conseguem passar despercebidas pelo sistema imunológico e são protegidas por ataques quando colocadas em outro organismo – como no caso de um transplante de órgãos, por exemplo.

Isso explicaria como células infectadas com doenças como o câncer, por exemplo, conseguem se espalhar pelo corpo. O estudo foi publicado na revista científica ‘Journal of Biological Chemistry’.

O próximo passo dos pesquisadores é descobrir o mecanismo usado pelas glicoproteínas para passarem como inofensivas ao sistema imunológico. Para Stuart Haslam, professor de biociência molecular, no caso do esperma, é um benefício que as células não sejam reconhecidas como perigosas.

– Mas parece que as células cancerígenas e infectadas com HIV se apropriaram desse mesmo privilégio – afirma. Segundo Anne Dell, que liderou a pesquisa, o estudo pode abrir caminho para a descoberta de novos tratamentos e na prevenção do câncer e outras doenças.

– Se as células agressivas do câncer estão usando os mesmos sinais reconhecidos pelo corpo para enganar o sistema imunológico e passar por inofensivas, precisamos descobrir como exatamente essa interação funciona – ressaltou.

O professor Richard Sharpe, da Unidade de Ciências Humanas Reprodutivas do Medical Research Council, a pesquisa é interessante porque pode lançar luz a vários mistérios do sistema reprodutivo masculino.

Ele explica que quando as células do esperma começam a ser produzidas nos testículos, elas ficam isoladas do sistema imunológico para não serem destruídas.

– O estudo sugere que há outras formas que o esperma possui para se proteger do sistema imunológico – comenta.

– Em termos de fertilidade, as mulheres são expostas a estes corpos estranhos constantemente, mas poucas desenvolvem anticorpos contra eles – finaliza.

(Com BBC Brasil)

Fonte: JB Online


Escrito por Airton

Um Comentario para “Estudo com esperma encontra ‘camuflagem’ do câncer”

  1. josé mauricio Escreveu:

    eu adorei esse comentario eu sou de jaragua do sul e estudo tenho13 anos e meu amigo maicon tambem adorou me mandem um e-mail!!valeu um abraço!

Deixe seu comentário