nov 23

Não deixe o desânimo acabar com a sua carreira


carreira sucesso Existem dois tipos de profissionais: aqueles que estão assistindo ao jogo na arquibancada e aqueles que estão jogando dentro do campo. No mercado de trabalho, os acomodados dividem espaço com os ávidos por desafios. Enquanto um encara o trabalho como Sísifo (personagem da mitologia grega condenado a carregar uma pedra até o topo de uma montanha por toda a eternidade), outros tentam fazer com que os problemas se tornem desafios.

Segundo o consultor em desenvolvimento de talentos, Adroaldo Lamaison, o desânimo nos profissionais é atribuído a uma mentalidade antiga, que via o trabalho como obrigação e sacrifício. Ele explica que esse grupo de profissionais olha apenas para o fim do mês, quando deveria ser como a outra equipe, que faz planos e mira o futuro.

– Cerca de 70% dos profissionais não sabe por que vai ao trabalho. O melhor dia da semana para a maioria é a sexta-feira. O pior, é o domingo à noite – conta Lamaison.

O consultor avalia que a maior queixa das empresas e recrutadores é a falta de gente com vontade, e não com qualificação. De acordo com ele, tudo se torna difícil para quem não tem aspirações.

– Às vezes o profissional culpa o outro, culpa a Deus, culpa a crise, mas não enxerga a própria acomodação – ressalta.

No entanto, a falta de ação de alguns profissionais nem sempre depende da personalidade de cada um. Lamaison ressalta que em alguns casos, os próprios chefes são castradores. Segundo ele, são lideranças que não têm habilidade de relacionamento, não aceitam idéias, querem ser estrelas e impedem o crescimento do funcionário.

Para o professor de Administração da Faculdade da Serra Gaúcha (FSG), Rafael Bittencourt, o motivo da acomodação está relacionado com a zona de conforto e ao perfil do profissional.

– Alguns têm aversão aos riscos e situações de desconforto, e fogem de executar algumas tarefas na empresa que ainda não dominam. O medo da crítica causa esta resistência – analisa Bittencourt, explicando, porém, que as organizações acabam abrindo espaço para os dois tipos de profissionais.

Mercado competitivo deixa os inertes para trás

Bittencourt afirma que procurar uma faculdade é um indício de que a pessoa está insatisfeita e quer se aprimorar. Maria Teresa Casagrande, gerente administrativa corporativa das empresas Randon, concorda que a acomodação dos funcionários é questão de personalidade.

– Alguns são mantenedores, executam bem suas tarefas, mas não têm ambições profissionais. Preferem evitar o trabalho e ficar onde estão.

Ela diz que as organizações têm programas de desenvolvimento e de motivação, mas que cada profissional aproveita de uma forma diferente. Segundo Maria Tereza, nem todos querem aprender inglês cinco dias por semana, por exemplo, mesmo sabendo que isto é requisito fundamental para alcançar um cargo maior.

A recrutadora da Opus Recursos Humanos, Josiane Moro, ressalta que, com o mercado cada vez mais competitivo, os profissionais inertes estão perdendo espaço e ficando para trás.

– Os mais jovens não se mantêm no emprego se estiverem acomodados. É diferente do tempo dos mais velhos, que vieram de um mercado calmo – explica Josiane.

Dando a volta por cima

Sete dicas do consultor em desenvolvimento de talentos Adroaldo Lamaison para melhorar sua carreira:

1- Faça o planejamento para os próximos cinco anos. Onde você quer estar?

2- Invista em novos conhecimentos que o levarão a seus objetivos.

3- Envolva-se com projetos da empresa.

4- Acredite em sua capacidade.

5- Saiba conviver bem com os colegas e aceitar idéias diferentes.

6- Seja humilde para reconhecer erros.

Segundo o professor Rafael Bittencourt, sua carreira está acomodada quando você…

> Executa as mesmas funções na empresa há mais de cinco anos.

> Deixa suas obrigações para a última hora, e quando não as cumpre, sempre tem uma desculpa.

> Nunca se manifesta quando seu chefe solicita voluntários para algum projeto.

> Sente-se ansioso e com medo diante de qualquer mudança na empresa.

> Não busca se qualificar por iniciativa própria.

> Não planeja nem executa seu crescimento profissional.


Fonte: Zero Hora

Escrito por Airton \\ tags: , , , , ,

5 Comentarios para “Não deixe o desânimo acabar com a sua carreira”

  1. Oscar Luiz Escreveu:

    Cara,
    É fácil pra quem está de fora, dizer “não deixe o desânimo acabar com sua carreira”, ou “saia da depressão agora”… Principalmente pra quem já está rico e feliz.
    Que fim levaram os “grandes motivadores” tipo o “Lair Ribeiro”. Desapareceram! Porque? Sim, porque ganhando milhares de dólares, é fácil estar motivado para dar uma palestra de “como motivar”.
    Mas quem sai de lá, sai ainda mais derrotado por ver o sucesso alheio e o seu marasmo.
    É difícil mudar algumas situações mesmo…
    Bom, eu tentei adicionar meu link no seu blogroll mas ele não aceitou, porque meu link recíproco é no meu blog de links e não no mesmo domínio do blog.
    De qualquer maneira, seu link está lá. É só pra conhecimento mesmo.
    Um abraço e uma boa semana!

  2. Alex Primo Escreveu:

    Meu nome é Alex Primo e sou professor do programa de pós-graduação em Comunicação e Informação da UFRGS. Estou realizando uma pesquisa sobre blogs de Porto Alegre. Gostaria muito de poder contar com sua presença em uma entrevista em grupo que realizarei na Faculdade de Comunicação da UFRGS na próxima quinta-feira, 4 de dezembro, às 19h. Posso contar com sua participação? Por favor responda para limc arroba ufrgs.br

    Abraços,

    Alex Primo
    Professor PPGCOM/UFRGS
    – Blog: http://alexprimo.com
    – Livro: http://www.ufrgs.br/limc/livroimc/
    – Laboratório de Interação Mediada por Computador: http://www.ufrgs.br/limc

  3. gilardo Escreveu:

    Acredito que esse negócio de motivação é tudo conversa para boi dormir. Ora, num mundo onde tudo é ganancia, oportunismo, QI,(quem indica) sou mais do desmotivado, sou desmotivadissimo, tenho desânimo até para comer pois sei que os micróbios estão me esperando, ou talvez já estejam me comendo. E que diferença faz se vai ser agora, ou amanhã, ou depois….aliás me perdoe …já estou com preguiça de escrever….

  4. Mila Escreveu:

    Vejo que a intenção é muito boa. Mas o mundo real vai além de todos esses requisitos. É claro não dispensando-os em alguns casos específicos. Como empresas sérias e consolidadas, mesmo assim haverá suas pequenas ou quem sabe grandes injustiças.
    Injustiça gera injustiça vemos que no mundo real a história é bem diferente. Ok? Sabemos que o QI, e os privilégios ainda existem até hoje! E sabemos que todas as pessoas não só do nosso país, mas do mundo inteiro são oportunistas e vivem de acordo com os seus interesses, até no casamento que é uma instituição baseada no amor desde antiguidade se tornou mercado. Essas palavras que pronunciei são verdadeiras e se vc quiser comprovar é só vivenciar a VIDA REAL. Beijins. Mila.

  5. Glaubia Jocoski Escreveu:

    Gostei muito do texto e eu acredito que é isso ai msm tem que se manter motivado, mesmo que seja dificil, nada contra os colegas que postaram suas opinioes, mas eu acredito que não devemos tentar axar um culpado para o nosso fracasso e sim encarar o problema como um obstaculo esse é o segredo.

Deixe seu comentário