jan 07

Bill Gates anuncia início de uma segunda década digital


O presidente e fundador da Microsoft, Bill Gates, 52, abriu no domingo a CES (Consumer Electronics Show) de Las Vegas confirmando que esta foi sua última aparição no evento e que agora se inicia uma segunda década digital, “mais focada em conectar pessoas”.

“Este é meu último discurso de abertura. Em julho deixarei de ser um funcionário em tempo integral da Microsoft para trabalhar totalmente para a Fundação [Bill e Melinda Gates]”, assinalou em seu discurso de abertura da CES 2008.

image Gates já tinha anunciado que em julho deixaria de forma efetiva todos os trabalhos de gestão da Microsoft para concentrar-se em suas tarefas filantrópicas através da Fundação Bill e Melinda Gates.

Durante seu discurso, o magnata qualificou os últimos 10 anos como a “primeira década digital”, e disse que o período viveu um grande sucesso tanto no desenvolvimento de aparelhos como em suas aplicações.

“Nada vai nos segurar na segunda década digital, que estará mais focada em conectar pessoas e nas necessidades do usuário”, afirmou.

Gates disse que haverá três elementos-chave na nova década digital. O primeiro foi definido por ele como “experiências em alta definição”, tanto de vídeo como de áudio.

O segundo elemento citado por Gates foi que todos os aparelhos eletrônicos “estarão conectados por serviços”, o que permitirá compartilhar a informação entre uma multidão de usuários sem a necessidade de estabelecer pontes entre os aparelhos eletrônicos.

E o terceiro elemento, que Gates qualificou como “o mais subestimado”, são as novas formas de interação com computadores, telefones e outros aparelhos eletrônicos.


Implicações

Os discursos que Gates pronunciou na CES serviram para que o fundador da Microsoft mostrasse sua visão do futuro para o setor.

image

 

 Aparelho Parrot SK4000 tem Bluetooth que possibilita aos motociclistas ativar comandos por voz, deixando as mãos livres

 

 

Quando Gates abandonar suas responsabilidades diárias à frente da companhia, para dedicar mais tempo a trabalhos filantrópicos, sua influência na direção do gigante da informática diminuirá de forma significativa.

A futura ausência de Gates terá implicações positivas e negativas, como muitos analistas do setor já comentaram.

Alguns dos ousados diagnósticos que Gates fez em edições passadas do CES nunca chegaram a se cumprir, como um mundo dominado pelo Tablet PC (computador pessoal com o formato de um laptop ou prancheta, que pode ser acessado com o toque de uma caneta especial) ou o desaparecimento dos spam em 2006.

Por outro lado, o fundador da Microsoft teve mais sorte ao anunciar a presença quase onipresente de computadores na vida moderna graças a sua fusão com produtos eletrônicos.

Mas nem sempre os acertos de Gates se traduziram em sucessos para a Microsoft, como no terreno dos videogames, da música digital e dos smartphones, onde outras empresas foram capazes de lucrar mais.

A ausência de Gates na abertura dos próximos CES abrirá as portas para outros visionários, como Steve Jobs, da Apple, e que triunfou nos campos onde a Microsoft falhou, com o iPod e o iPhone.

Com ou sem Gates, a CES continuará sendo uma das principais vitrines mundiais da eletrônica de consumo, o lugar eleito por centenas de empresas para antecipar as tendências de 2008.


Escrito por Airton

Deixe seu comentário