abr 16

VACINA-GRIPE-A A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) determinou ontem a apreensão e inutilização, em todo o país, de um lote falsificado da vacina contra a gripe H1N1. O produto, que foi encontrado na semana passada em farmácias de Minas Gerais, se faz passar por um medicamento do laboratório Sanofi-Pasteur, que teve autorização para comercializar a vacina no país nesta semana.

A ordem para apreensão foi publicada hoje no “Diário Oficial” da União. Até agora, segundo a Anvisa, o lote falsificado só foi encontrado em farmácias de Minas Gerais, mas a Polícia Federal investiga se o medicamento está sendo distribuído ou vendido em outros locais do país.

A venda de vacinas contra o H1N1 em farmácias é proibida. Quem quiser se vacinar só pode fazê-lo em postos de saúde, onde o medicamento é aplicado gratuitamente para quem é contemplado pela campanha de vacinação do Ministério da Saúde, ou em hospitais e clínicas particulares autorizados pela vigilância sanitária.

Por enquanto, apenas os laboratórios Abbot e Sanofi-Pasteur tiveram autorização da Anvisa para comercializar a vacina contra a gripe H1N1 no país. O laboratório GlaxoSmithKline também já produziu a vacina, mas ainda não solicitou autorização da agência para vendê-la.

Características

O lote falsificado da vacina contra a gripe suína é o DEI 036-4. O número do lote não obedece aos padrões do laboratório Sanofi-Pasteur. Além disso, o medicamento contém outras várias irregularidades, como nome do produto incorreto, falha na impressão da caixa, ausência de código de barras e nome falso da farmacêutica responsável.

As diferenças das embalagens do produto falsificado e original podem ser conferidas no site da Anvisa. Denúncias sobre medicamentos falsificados podem ser feitas à Anvisa pelo telefone 0800-642-9782.

(Da Agência Folha)



Escrito por Airton \\ tags: , ,