maio 18

mec-concurso-2011-nacional O Ministério da Educação (MEC) planeja um concurso nacional para selecionar professores que desejam atuar na rede pública. A prova será em 2011 e, no primeiro momento, será destinada a docentes que tenham interesse em trabalhar com alunos dos primeiros anos do ensino fundamental e da educação infantil.

A ideia do concurso surgiu no ano passado e, segundo o Ministério da Educação, é uma demanda das próprias redes de ensino estaduais e municipais. A seleção funcionará nos moldes do atual Exame Nacional do Ensino Médio (Enem): o professor faz a prova e depois poderá utilizá-la para ingressar em diferentes redes que aderirem ao processo seletivo. O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep) será responsável pelo exame.

“Hoje cada um faz seu concurso de forma descentralizada, contratando empresas. Nós fizemos uma pesquisa e percebemos que os conteúdos cobrados no concurso eram muito limitados, as questões eram superficiais”, explicou a coordenadora-geral de instrumentos e medidas educacionais do Inep, Gabriela Moriconi.

O órgão buscou inspiração em processos seletivos de países com bons indicadores educacionais para desenvolver o projeto do concurso nacional. “Procuramos saber quais são os padrões do que seria um bom professor, que tipo de conhecimento e habilidades ele deveria ter no momento do ingresso. Depois adaptamos às necessidades do Brasil”, explicou.

A matriz dos conteúdos que serão cobrados na prova estará disponível para consulta pública ainda essa semana. Professores, universidades, estados e municípios vão poder opinar sobre o modelo da prova durante 45 dias. Logo depois, terá início o período de adesão das redes de ensino. A ideia é que o professor, antes de fazer a prova, possa consultar quais localidades vão utilizar a nota do concurso nacional para selecionar seus profissionais. Segundo Gabriela, as secretarias de educação têm mostrado bastante interesse nesse modelo de seleção.

“Para os municípios, especialmente, é muito complicado fazer o concurso, custa muito caro. Alguns passam muito tempo sem fazer concurso, contratando professores temporários para suprir a necessidade”, afirmou.


Fonte: Agência Brasil



Escrito por Airton \\ tags: , , , , , , ,

nov 25

concurso Motivação
Todo projeto de longo prazo terá momentos de ânimo e vontade de desistir. Procure se preparar para os dias de baixa: eles virão e você vai precisar aprender a lidar com eles. A motivação deve ser trabalhada diariamente. Todos os dias você pode e deve lembrar os motivos que o estão fazendo estudar, ter planos, persistir.

Lazer e o estudo
Com organização, disciplina e força de vontade, é possível conciliar um estudo eficiente com uma vida onde haja espaço para lazer. A qualidade de vida associada às técnicas de estudo são muito mais produtivas do que a tradicional imagem da pessoa trancafiada estudando 14 horas por dia.

Administração do tempo
Faça um quadro horário, colocando nele todas as tarefas a serem realizadas, o que vai levá-lo a estabelecer prioridades. Também é recomendável que você separe tempo suficiente para dormir, fazer algum exercício físico e dar atenção à família ou relacionamento.

Humildade
Não queira parecer mais inteligente que o examinador ou criticá-lo. Preste atenção mesmo às questões fáceis ou aparentemente simples. Ao fazer uma prova, nunca perca de vista o objetivo: passar. O objetivo não é ser o primeiro colocado, e sim acertar as questões, tentar fazer o máximo de pontos, mas ficar feliz se acertar o mínimo para passar.

Provas
Em provas objetivas, seja metódico ao responder. Nas dissertativas, seja objetivo e mostre seus conhecimentos. O início e o final das dissertativas devem ser breves; o desenvolvimento (miolo) serve para demonstrar seus conhecimentos sobre o tema. Nessa parte, anote tudo o que você se recordar sobre o assunto e estabeleça relações. Se não tiver certeza a respeito de um comentário, adendo ou exemplo, elimine-o.

Simulados
Para os simulados, resolva questões e provas da matéria que estudou, como forma de fixar o conteúdo. Periodicamente, faça um concurso simulado, observando o tempo real da prova e o uso apenas do material permitido pelo processo seletivo. Outra dica boa é fazer os simulados oferecidos pelos cursos preparatórios.

Mudança de paradigma
Se você está acostumado a pensar numa prova apenas como aluno, aprenda a vê-la com os olhos do examinador. Em duplas ou grupos, passe a fazer provas e trocá-las para correção. Corrija-as como se fosse o próprio examinador. Você aprenderá a ver a prova com outros olhos e isto facilitará seu desempenho quando reassumir o papel de aluno. Treine para fazer provas orais reparando a postura e respostas do colega como se você fosse da banca.

Cores
O uso de mais de uma cor nas anotações estimula mais a atenção e o lado direito do cérebro. Pode-se correlacionar cores com assuntos ou com referências. Por exemplo, o que está em vermelho são os assuntos mais “quentes” para cair, o que está em azul são as exceções, os princípios podem ficar na cor verde, e assim por diante.

Leitura
Na primeira leitura, procure apenas a idéia principal, conteúdos importantes que sejam rapidamente captados. Essa primeira leitura é rápida, descompromissada, sem a preocupação com a compreensão total. Na segunda leitura faça uma análise melhor, comece a tirar conclusões pessoais, a criticar, concordar, anotar, sublinhar. Na terceira leitura, você já pode sintetizar, resumir. Ao final dela você já deverá sentir-se apto a fazer um texto sobre o tema.

Escrita
Comece a redigir todos os dias ou, pelo menos, toda semana. Separe horários específicos apenas para isso. Experimente começar a escrever um diário, poesias, contos, fazer descrições de objetos, narrar fatos ou problemas, dissertações sobre assuntos em geral e assuntos da matéria da prova, resumos de livros e filmes.

Fonte: William Douglas, autor do livro “Como passar em provas e concursos”, da Campus/Elsevier




Escrito por Airton \\ tags: , , , , , ,