nov 09

fraudes-na-internetAs tentativas de fraude de roubo de identidade são comuns e crescem desde 2010, segundo o Indicador Serasa Experian de Tentativas de Fraudes, divulgado nesta sexta-feira (9). O estudo mostra que um consumidor brasileiro é vítima da tentativa de fraude a cada 15 segundos. São pessoas que correm o risco de ter seus cartões de crédito clonados, talões de cheque falsos emitidos e empréstimos bancários feitos por golpistas em seu nome, entre outros crimes.

Os golpes são classificados como o roubo de dados pessoais de consumidores para obter crédito com a intenção de não honrar os pagamentos ou fazer um negócio sob falsidade ideológica. Segundo a Serasa Experian, entre janeiro e setembro deste ano, 1.565.028 tentativas de fraudes foram registradas. O número representa um crescimento de 5,9% nas tentativas de fraude na comparação com o mesmo período de 2011 e de 13,7% na comparação com 2010.

O setor de serviços responde por 36% do total de tentativas de fraudes neste ano. O segmento inclui seguradoras, construtoras, imobiliárias e serviços em geral – como pacotes turísticos e salões de beleza. Já a telefonia está em segundo lugar, com 33% dos registros entre janeiro e setembro deste ano. Um exemplo de golpe neste segmento é a compra de celulares com documentos falsos ou roubados.

O ranking é completado pelos bancos e financeiras (18%), varejo (11%) e outros (2%). “É comum, no dia a dia, apresentarmos nossos documentos a quem não conhecemos. Podemos mostrar, por exemplo, a carteira de identidade ou o CPF a funcionários de lojas e porteiros de condomínios. E há ainda os cadastros pela internet. Tudo isso torna difícil ter controle sobre quem tem acesso aos nossos dados, mas há formas de o consumidor se prevenir. Uma delas é nunca deixar o documento com um desconhecido quando você não estiver por perto”, afirma Ricardo Loureiro, presidente da Serasa Experian. Segundo a empresa, o cuidado deve ser maior no fim de ano, quando a busca por crédito e o movimento no comércio são maiores.

Os dados do Indicador Serasa Experian de Tentativas de Fraude são resultado do cruzamento do total de consultas de CPFs efetuado mensalmente na empresa, da estimativa do risco de fraude e do valor médio das fraudes efetivamente ocorridas.

Fonte: Gazeta do Povo



Escrito por Airton \\ tags: , , , , , , , , , ,

out 19

 

modelo_fatura_digitalUm novo sistema de cobranças eletrônicas, que dispensa o envio de boletos via correio, entra em operação nesta segunda-feira. Chamado de Débito Direto Autorizado (DDA), o serviço permitirá ao cliente de banco (pessoa física ou jurídica) consultar e pagar contas por meio da internet, telefone ou caixa eletrônico. Além da praticidade e mobilidade para os consumidores, o sistema vai proporcionar um economia para os bancos e diminuir o impacto ambiental da produção de papel para os boletos.

Para utilizar o DDA é preciso se cadastrar no seu banco. Feito isto, as instituições financeiras responsáveis pelas cobranças como plano de saúde, mensalidade escolar, condomínio, financiamento, vão verificar se o cliente está no sistema e, caso estiver, mandarão a cobrança apenas eletronicamente. Quando o cliente acessar o site ou uma máquina de atendimento, seu banco consultará o sistema e disponibilizará os boletos enviados, que poderão ser pagos.

O cadastramento no sistema não indica que as contas serão pagas automaticamente, como no débito automático, ele apenas elimina o envio de boletos físicos à casa do cliente. Para efetuar o pagamento, o consumidor deve acessar o sistema e autorizar o débito ou fazer o agendamento. Bancos colocarão à disposição dos clientes serviços para informar sobre a chegada de cobranças no sistema por meio de mensagens via celular ou e-mail.

Na primeira fase do projeto, o pagamento de impostos, como IPTU e IPVA, e de serviços públicos, como contas de água, luz, gás e telefone, não está disponível por meio do boleto eletrônico. A possibilidade de quitar a dívida pelo sistema só vai até o vencimento da conta – depois disso, o boleto deverá ser impresso e pago no banco emissor. Se você receber o boleto por meio eletrônico e também por correio, deverá liquidar apenas o primeiro.

De acordo com o Procon-SP, o consumidor não é obrigado a aderir ao DDA e ao utilizar o sistema deve ficar atento às confirmações de pagamento. No caso de não emissão do comprovante, deve informar a instituição financeira onde efetuou o pagamento. Para problemas de cobrança, o procedimento para reclamações é igual ao de um boleto: é preciso questionar a empresa emissora e, se não houver resolução, procurar um órgão de defesa do consumidor.

O cadastrado no novo sistema também poderá visualizar boletos de cobrança emitidos a outro CPF/CNPJ, cujos pagamentos estão sob sua responsabilidade, por exemplo, a mensalidade da faculdade de um filho ou plano de saúde dos pais, mediante autorização. Além disso, qualquer cobrança errada pode ser contestada diante do emissor, assim como com os boletos de papel. Basta entrar em contato com a empresa para verificar a irregularidade e aguardar a chegada de outro boleto eletrônico.

A utilização do sistema irá gerar uma economia anual de 374.400 árvores, 1 bilhão de litros de água e 46 milhões de kW/h, utilizados para a fabricação do papel dos boletos, segundo a Federação Brasileira de Bancos (Febraban), que liderou a implantação do DDA no País.

Fonte: Terra



Escrito por Airton \\ tags: , , , , , , , , , , , ,