jul 11

Neste inverno é comum as pessoas ficarem gripadas, mas o que vem preucupando o Brasil é que esta gripe pode ser perigosa. Este ano há muitos casos confirmados de Gripe A (H1N1), e muitos não sabem o que fazer ou se estão com a doença. Os sintomas aparecem de um a dois dias após a infecção. A primeira regra é ficar em casa assim que se sentir doente, pois você pode facilmente espalhar os germes para as outras pessoas. Se possível, não saia de casa nas primeiras 24 horas após ter os surtos de febre. Compare os sintomas da Gripe comum e a Influenza A (H1N1):

sintomasgripeA

Para dete-la, o tratamento mais comum para a gripe é tratar beber bastante líquido, tomar remédios para reduzir a febre, e descansar bastante. E ficar em casa, para não espalhar os germes. Onde quer que você esteja, sempre cubra a boca com um lenço ao tossir ou espirrar, jogue o lenço fora depois, e, mais uma vez, lave as mãos com água e sabão regularmente.
Medicamentos antivirais não previnem a doença, mas podem encurtar sua duração e reduzir os sintomas se tomados dentro de 48 horas após o aparecimento dos primeiros sintomas. Tanto o Tamiflu® quanto o Relenza® foram usados recentemente para tratar pessoas que ficaram seriamente doentes durante a pandemia de gripe H1N1 de 2009, por exemplo. O Centers for Disease Control (Centro de Controle de Enfermidades dos Estados Unidos) recomenda o uso de oseltamivir ou zanamivir para o tratamento e prevenção da infecção contra este vírus influenza suína. Os remédios antivirais são drogas prescritas (comprimidos, xaropes ou por inalação) que combatem o vírus e impedem que se reproduza no seu organismo. Se você ficar doente, os remédios contra o vírus tornam a doença menos grave, previnem as complicações e permitem que a melhora clínica seja mais rápida. Para o tratamento funcionar melhor, ele deve ser iniciado precocemente, assim que você ficar doente (dentro de dois dias após o início dos sintomas). Sempre com orientação médica.

Se os sintomas persistirem ou piorarem depois de três a cinco dias, principalmente a dificuldade respiratória, a pessoa pode estar com uma doença secundária, como pneumonia, bronquite ou sinusite, e deve procurar um médico.




Escrito por Airton \\ tags: , , , , , , , , ,

abr 20

Quem sofre de diabetes tem uma preocupação constante: seus pés. Por isso, a Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular (SBACV) está distribuindo o primeiro manual ao pé diabetico. Com 40 páginas, os 10 mil exemplares destinam-se aos especialistas que trabalham com doentes, ajudando no diagnostico e na orientação precoce. Confira parte do material:

Principais sintomas:
Dores nas pernas, principalmente com exercícios, feridas que não curam, pés inchados, azulados e ressecados, dormência e insensibilidade, o que pode levar uma pessoa a não perceber uma ferida.

Cuidados:

  • É preciso examinar diariamente os pés e ter cuidados com bolhas, rachaduras e ressecament0s.
  • Evite colocar os pés de molho, pois eles poderão rachar ou ressecar.
  • Nunca ande descalço.
  • Não mtente remover calos ou verrugas com curiosos e pedicures sem treinamento.
  • Use diariamente uma loção ou creme hidratante nos pés. Retire o excesso e não use creme entre os dedos.
  • Peça para seu médico examinar bem seus pés durante a consulta.

 Os mandamentos:

  1. Não fazer compressa nos pés, em qualquer temperatura
  2. Usar meias sem costuras por dentro e por fora
  3. Não remover as cutículas das unhas dos pés
  4. Não usar sandálias com tiras entre os dedos
  5. Cortar as unhas retas e acertar os cantos com serra de unha
  6. Hidratar bem o pé
  7. Nunca nadar descalço
  8. Olhar sempre as plantas dos pes e tratar logo qualquer arranhão ou ferimento
  9. Não usar sapatos apertados ou de bico fino
  10. Tratar as calosidades com profissionais de saúde
  11. Seque bem os pés após o banho.


Baixe o manual completo aqui



Escrito por Airton \\ tags: , , , , , , , , , , , , , , ,