abr 09

Estudar à distância, conectado na web, deixou de ser um hábito estranho. O número de alunos que têm aulas via internet cresce a cada ano. A modalidade pode se tornar ideal para quem quer estudar e mora longe da universidade ou não tem tempo de frequentar aulas regulares. Reunimos cinco ideias sobre Ensino à Distância (EAD) e explicamos por que elas são verdadeiras ou falsas.

 

1. Os empregadores preferem candidatos com cursos presenciais.

Mentira. Ainda há o preconceito, é claro, mas aos poucos o mercado de trabalho começa a se dar conta, entre outras coisas, que quem faz EAD desenvolve habilidades como autonomia na hora de resolver problemas, responsabilidade, organização, disciplina e, principalmente, percepção para analisar e filtrar informações.

2. O aluno pode aprender sem o professor por perto, sem o “olho no olho”.

Verdade. Os professores de EAD também ensinam e cobram, como ocorre nas salas de aula. Mas não é porque o aluno não está vendo o professor que ele não vai aprender. O sucesso das redes sociais prova que o virtual pode ser mais eficaz do que o presencial.

3. EAD não tem professor nem aula, e o aluno estuda a hora que quer.

Mentira. Na EAD, professor também cobra, existem encontros presenciais, e o curso também exige bastante dedicação. O que muda é a metodologia de ensino, que vai ser mais eficaz para uma pessoa, mas pode não ser para outra.

4. Para fazer EAD tem que ser disciplinado.

Verdade. Pessoas pouco disciplinadas, pouco comprometidas ou que necessitam de alguém cobrando o tempo inteiro não serão boas candidatas a um curso à distância. Apesar da cobrança, EAD exige que a pessoa se vire bem sozinha.

5. EAD é cômodo, pois realiza o “sonho” de muitos alunos que não gostam de ser cobrados pelo professor.

Mentira. EAD não evita o vínculo entre professor e aluno, que interagem por meio de e-mail, mensagens instantâneas ou chats. Quem acha que é mais fácil estudar à distância se decepciona, porque há cobranças semanais para entrega de trabalhos.

Palavra de especialista:

Normalmente, o aluno tem que ter um alto nível de autonomia, porque esse tipo de ensino depende muito dele. Se ele for uma pessoa organizada, está apto. Atualmente, um entre sete alunos de ensino superior utilizam o sistema de ensino à distância para aprimorar seu currículo. A procura por cursos à distância são basicamente de quem já tem uma formação e procura uma segunda, ou que já está no mercado de trabalho e busca a flexibilidade de horários que os cursos proporcionam. Ainda existe um certo preconceito do mercado em relação a esse tipo de profissional. Mas está mudando. Só para termos uma ideia, na última avaliação do Enem, os alunos das turmas de EAD foram melhor avaliados do que os das turmas presenciais.




Escrito por Airton \\ tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

jun 02

pos-ead-lato-sensu Os termos lato sensu e stricto sensu, comumente utilizados para os cursos de pós-graduação, despertam muitas dúvidas quanto ao seu verdadeiro significado. No momento de escolher um curso de pós-graduação, muitas pessoas não sabem qual a melhor opção.

As pós-graduações lato sensu compreendem programas de especialização e incluem os cursos designados como MBA – Master Business Administration. Com duração mínima de 360 horas, não computando o tempo de estudo individual ou em grupo sem assistência docente e àquele destinado à elaboração de monografia ou trabalho de conclusão de curso. Ao final do curso, o aluno obtém certificado e não diploma. Os cursos são abertos a candidatos diplomados em cursos superiores e que atendam às exigências das instituições de ensino – art. 44, III, Lei nº 9.394/1996.

O critério de seleção para o ingresso em um curso de pós-graduação lato sensu é definido de forma independente em cada instituição, sendo geralmente composta de uma avaliação e de uma entrevista, no qual a única exigência formal a ser cumprida pelo interessado se refere à posse de um diploma de nível superior.

Já as pós-graduações stricto sensu compreendem programas de mestrado e doutorado abertos a candidatos diplomados em cursos superiores de graduação e que atendam às exigências das instituições de ensino e ao edital de seleção dos alunos.( art. 44, III, Lei nº 9.394/1996. ) Ao final do curso o aluno obterá diploma.

O curso de mestrado tem a duração de dois anos, no qual o aluno desenvolve a dissertação e cursa as disciplinas coerentes a sua pesquisa. Os quatro anos de doutorado são referentes ao cumprimento das disciplinas e a elaboração da tese junto à orientação.

Fonte: POS EAD



Escrito por Airton \\ tags: , , , , ,