mai 07

Sapatos com plataforma, salto alto, bico fino ou rasteirinhas. São diversas as opções oferecidas para estar na moda. Porém, com o uso excessivo é dificil evitar problemas.

 

De acordo com o ortopedista e traumatologista Renato Brufatto Machado, um dos problemas mais comuns é o joanete, que está relacionado com a largura do pé e o uso frequente de calçados mais justos. O joanete é uma saliência óssea dolorosa que se forma entre a primeira articulação do pé ligada ao dedão (hálux).

Outro incômodo que atinge grande parte das mulheres, principalmente as que praticam uma atividade física regular, é o chamado Neuroma de Mórton, uma microlesão que surge normalmente entre o terceiro e o quarto dedos após esforços em corridas ou caminhadas prolongadas. Para amenizar a dor ocasionada por esse problema, pode ser recomendado o uso de palmilhas macias ou o tratamento cirúrgico, sugere Brufatto, que integra a Associacão Brasileira de Medicina do Pé e Tornozelo.

O especialista em análise do caminhar e da postura Jefferson Selaimen afirma que as calosidades estão entre os casos mais frequentes encaminhados ao exame de baropodometria — tecnologia que avalia as características do caminhar sobre uma plataforma que mede a força dos pés ao tocarem no solo. Os calos se formam, normalmente, no segundo dedo e têm relação com o uso de sapatos de salto alto pela pressão exercida naquela região durante a caminhada.

A dica é usar calçados mais confortáveis que acomodem bem os dedos, evitar o salto alto e fazer alongamentos para fortalecer a musculatura dos pés.



Escrito por Airton \\ tags: , , , , , , ,

mar 04

sapatos

A maioria das brasileiras com mais de 55 anos pensam na hora de comprar sapatos. Mas há pesquisas apontando soluções. E uma preocupação do mercado em atender esse grupo.

• Uma pesquisa do Centro Tecnológico do calçado Senai, de Novo Hamburgo, traçou o perfil do pé das mulheres com mais de 55 anos.

• Uma revelação importante: a circunferência dos pés das idosas é mais larga. Assim, as formas de calçado (padrões normais) são desconfortáveis.

• A pesquisa constatou que 75.9% das voluntarias estavam com sobrepeso, interferindo na largura das formas.

• No Brasil, não temos formas intermediárias. Além disso, as larguras dos modelos são padronizadas. A partir de agora, serão desenvolvidas formas com pelo menos duas escalas de largura.

• A pesquisa permitiu fabricar dois modelos conceituais, um casual e outro social, elaborados com palmilhas especiais.

Cuidados na escolha

Compre sempre o sapato no final do dia, quando os pés estão mais inchados.

Ande um pouco com os sapatos novos pela loja, para sentir como se adaptam aos pés. Eles devem estar absolutamente confortáveis na hora da compra. Não entre no papo de que vão amaciar com o uso. Só compre se ficar perfeito.

Devemos medir os pés frequentemente. Após dos 20 anos, 90% das pessoas aumentam até dois pontos o numero do calçado. Devemos solicitar o numero correto, deixar um espaço de folga entre o ultimo de do e a ponta do calçado, pois os dedos necessitam deste espaço para a movimentação.

Observe o salto: não é a sua altura isoladamente que importa. O ideal é que o pé fique paralelo ao solo, ou levemente inclinado, com a diferença do salto e a plataforma do antepé de aproximadamente 3 centímetros.

Escolha modelos com solas macias e absorventes, principalmente se a atividade profissional o obriga a ficar muitas horas em pé.

Lembre-se sempre de que o sapato deve se adaptar aos seus pés e não os seus pés devem se adaptar aos sapatos. 




Escrito por Airton \\ tags: , , , , , , , , , , , , , ,