mai 15

distimia

Se de uma hora para a outra, sem motivo aparente, você se pega reclamando de tudo e passa a maior parte do tempo de mau humor, com dificuldades em sentir prazer em atividades de rotina, sempre com cansaço e falta de energia, fique atento, você pode estar sofrendo de uma doença chamada distimia.

A distimia é um transtorno de humor, considerado um tipo de depressão leve que ocorre em cerca de 5% da população geral e acomete três vezes mais mulheres do que homens.

Tratamento

Os médicos afirmam que, em alguns casos, há possibilidade de cura. Em outros, porém, o tratamento é constante e sem previsão de término. “Isso depende de cada pessoa, mas o tratamento é feito por meio de medicamentos antidepressivos e psicoterapia, assim como em outros casos de depressão”, conta Moreno

Quando o mau humor vira doença

Fique atento
É comum passar por situações que provocam o mau humor. A irritação e a impaciência vêm, por exemplo, quando estamos presos no trânsito, com calor ou frio demais ou quando sentimos uma dor forte. Mas quando a rabugice é predominante na maior parte do tempo e está associada a outros sintomas é sinal de que é necessário procurar um médico, pois pode se tratar de distimia

O que é
Distimia é um transtorno do humor. É considerada um tipo de depressão leve. Se o mau humor é predominante durante a maior parte do dia e dura meses ou anos, a pessoa pode estar sofrendo de distimia. Mas apenas um profissional poderá dar o diagnóstico da doença e indicar o tratamento adequado

Sintomas
– Mau humor que dura a maior parte do dia
– Cansaço ou sensação de falta de energia
– Preocupação excessiva
– Alteração no sono e no apetite
– Baixa auto-estima, irritabilidade, negativismo desânimo e melancolia
– Mesmo as atividades mais simples passam a exigir muito esforço
– Dificuldade de sentir prazer com o dia-a-dia
– Dificuldade para se concentrar, tomar decisões e acompanhar o ritmo dos colegas de trabalho
– Insatisfação constante e tendência a supervalorizar acontecimentos negativos

Quem pode ter
– Pessoas de todas as idades
– Acomete de duas a três vezes mais mulheres do que homens
– É mais comum entre jovens adultos (entre 25 e 35 anos)

Pode provocar
– Isolamento social
– Problemas conjugais e familiares
– Queda no desempenho profissional e escolar
– Abuso de drogas e alcoolismo

Tratamento
Na maioria dos casos o tratamento é feito com o uso de medicamentos antidepressivos e com psicoterapia



Escrito por Airton \\ tags: , , , , , , ,

mai 15

trabalho

Mexa-se o máximo possível. Vá recebers clienter naa porta, faça tarefas em pé (como ler um relatório). Por mais simples que  seja, fará a diferença na queima de calorias ao final de um mês ou um ano.

Atenção à postura. Muitas pessoas têm dores no corpo, em especial, nas costas, e só deois de algum tempo percebem que era devido a postura errada.

Traga a “quentinha” de casa. Levar a comida do jantar para o almoço pode ser uma boa opção, pois ajuda a limitar a quantidade de alimento ingerido (diferente de ir ao “bandejão” diariamente).

Lugar de comer é na mesa. Alimentar-se em frente ao computador não é recomendável. Mesmo almoçando na firma, é importante reservar poucos minutos para prestar atenção na comida e mastigar bem os alimentos.

Jamais pule o café da manhã. Pesquisas indicam que pessoas que tomam um café da manhã saudável seguem mais dispostas durante o dia. Inclua frutas ou sucos, cereais ou pães integrais e leite desnatado.

Evite excessos. Se, depois do almoço, você anda sentindo muito sono ou preguiça ao trabalhar, saiba que isso ocorre porque sua circulação digere ao aparelho digestivo, e o restante fica meio lento. Observe a quantidade que come.

Faça pequenos lanches entre as refeições, a cada três ou quatro horas. Mantenha seu metabolismo funcionando durante todo o dia, que vai ajudá-lo também a ingerir menor quantidade de alimentos nas refeições maiores, como almoço e jantar. Para isso, faça pequenos lanches entre as refeições, procurando alimentar-se a cada três a quatro horas.

Prefira os carboidratos em sua forma integral e em quantidade pequena. O excesso de carboidratos em um prato, principalmente sem proteínas, leva a um aumento da insulina muito rápido, e por isso pode ser seguido de fraqueza, além de favorecer o acúmulo de gordura abdominal.

Fique longe dos doces. A sensação de necessidade de algo doce pode ser por conta de uma privação de carboidratos integrais, como pães, arroz, batata, massas, que é a fonte energética preferida pelo corpo. Aí, quando o corpo necessita do açúcar, ele acaba pedindo na forma pura. Coma bem no almoço e fuja do quindim na sobremesa.

Opte por produtos que tenham níveis controlados de gordura saturada, gordura trans, sódio e açúcar. Confira sempre a tabela nutricional e fique de olho na quantidade de açúcar e sódio contido nos alimentos industrializados.



Escrito por Airton \\ tags: , , , , , ,